Bolsa de Valores institui Prémio de Jornalismo Financeiro para estimular o interesse dos jornalistas e da sociedade pelo tema

16 de julho de 2021

A+ A-

Bolsa de Valores de Cabo Verde institui Prémio de Jornalismo Financeiro. Uma forma de estimular o interesse dos Jornalistas e da sociedade pelo tema. Os prémios em concurso vão de 250 a 100 mil escudos e jornalistas de todos os orgãos de comunicação social nacionais poderão concorrer.

Trabalhos jornalisticos sobre a vida financeira no país poderão, agora, concorrer ao prémio de jornalismo financeiro que a bolsa de Valores de Cabo Verde acaba de instituir em parceria com a Associação dos Jornalistas cabo-verdianos AJOC. A intenção é fazer com que os jornalistas acompanhem com interesse os temas relacionados com as financas para que possam produzir conteúdos capazes de contribuir para a educação financeira da sociedade, sublinha o Presidente da Bolsa de Valores, Miguel Monteiro.

Todo o tipo de trabalho jornalistico de rádio, televisão, imprensa escrita ou online que incida sobre o mercado de capitais ou outros aspectos da vida financeira pode ser apresentado a concurso. Em jogo estarão prémios que vão dos 250 a 100 mil escudos. Independentemente do veículo de informação onde o trabalho foi publicado ou emitido estará em causa apenas a qualidade, garante Miguel Monteiro.

Trabalhos de cariz puramente informativa mas também trabalhos que resultem de jornalismo investigativo como lavagem de capitais, por exemplo, poderão ir a concurso, realça Monteiro. Um dos problemas que os jornalistas enfrentam é o acesso as fontes de informação, mas Monteiro assegura que a Bolsa de Valores de Cabo Verde estará disponivel.

O prémio normalmente avaliará trabalhos publicados de janeiro a dezembro do ano anterior, mas este ano abrangerá o periodo de julho a dezembro. Brevemente haverá um formulário online para inscrição. Cada jornalista poderá apresentar mais do que um trabalho. 



Programação

Ainda esta Semana

Últimos Vídeos

Últimos Áudios