Renovada por mais três meses prisão preventiva de Amadeu Oliveira

18 de maio de 2022

A+ A-

O Tribunal da Relação de Barlavento entendeu renovar, por mais três meses, a prisão preventiva do advogado Amadeu Oliveira, mantendo-o, assim, na prisão da Ribeirinha, ilha de São Vicente, onde se encontra há quase um ano (10 meses).

O despacho daquela instância, conforme noticia o jornal A Nação online, com data de 13 de Maio, entende que Amadeu Oliveira deve continuar a aguardar, na Prisão da Ribeirinha, “pelo desfecho dos recursos por ele interpostos nos termos da lei”.

De notar que este não é o primeiro pedido de reexame do seu caso pelo arguido, sendo que o actual prazo para a extinção da prisão preventiva de Amadeu Oliveira terminava a 14 de Maio.

Apreciado mais este recurso, argumentando o arguido que a sua prisão é ilegal, o Tribunal da Relação de Barlavento entendeu, pelo contrário, que os “pressupostos” que estiveram na base da submissão desse cidadão “se mostram inalterados”.

E, por conseguinte, “deve o arguido aguardar o julgamento sob a medida de coação em que até agora se encontra, ou seja, prisão preventiva”, remata o A Nação Online.

Amadeu Oliveira, que está em prisão preventiva na Cadeia da Ribeirinha, em São Vicente, começou a ser ouvido no Tribunal da Relação de Barlavento, a 19 de Julho do ano passado, depois de ter sido detido, um dia antes, no Aeroporto Cesária Évora, em São Vicente, à chegada da Praia.

Aquele advogado e deputado é acusado de envolvimento num suposto plano de fuga para França de um seu constituinte, condenado por homicídio – com recursos pendentes – e a quem tinha sido aplicada a medida de coacção de prisão domiciliária, pelo Supremo Tribunal de Justiça.

A pedido do Ministério Público, enquanto deputado, Oliveira teve a sua imunidade parlamentar levantada pela Assembleia Nacional (com a sua própria anuência a 1 de Julho).

 

RTC Online, com RCV

Artigos Relacionados

Programação

Mais Acedidos

Últimos Vídeos

Últimos Áudios